#3 Poema | Vacilante

Vacilo.
Por entre medos e vergonha,
Histórias naturais,
Situações banais,
Mas hesito.

Tenho todas as possibilidades,
Todas possíveis realidades.
Porém, só nas terríveis,
Eu acredito.

Mas persisto,
Vacilante.
Um nuvem desesperante
Me absorve.

Não me demove.
Tacteia por entre esperanças sólidas.
Aparentemente...

De repente,
Uma vontade insinua-se.
O medo persiste,
Mas já não me consome.

Tenho fome,
De encontrar, de novo,
Um lugar
De segurança.

Tremo,
Mas não desisto.
E já nem há razão
Para isto!

Vacilante...
É agora uma possibilidade,
Não uma constante.

Autoria: Raquel Pereira

E já não tínhamos novo poema há algum tempo. Por isso, espero que gostem, e partilhem comigo o que vos suscitou este poema 🙂

Beijinhos e até ao próximo post!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s