#2 A minha experiência com… Nunca seduzas um escocês, de Maya Banks

IMG_20150210_185520

Este livro foi-me dado a conhecer por uma das minhas melhores amigas e das maiores livrólicas que conheço. Ao falar-me deste livro, o qual ela leu de uma assentada, pela madrugada dentro, fiquei logo com uma boa impressão do mesmo, embora a temática dos “guerreiros escoceses”, dos outlanders e highlanders, na altura não me fosse muito familiar. (O que não faz muito sentido, uma vez que eu adorava ir à Escócia…) Enfim, passou algum tempo, no qual aquela história me vinha sempre à memória, até ter maior disponibilidade para me atrever por temáticas não tão familiares. E pedir-lhe que mo emprestasse para o ler. Agora, venho partilhar convosco essa minha experiência.

Antes de mais, este “Nunca seduzas um escocês” é o primeiro da série “Montgomerys & Armstrongs” que conta já com um segundo título, apenas na sua versão original – “Highlanders most wanted”. Este primeiro volume centra-se na história de Eveline Armstrong, filha do Laird (chefe do clã) de Armstrong, e de Graeme Montgomery, Laird do clã Montgomery, dois clãs que vivem há décadas como inimigos. Quando o Rei ordena que Eveline e Graeme se casem, os clãs são forçados a forjar um pacto de sangue que impõe tréguas entre eles, e Graeme julga ter condenada para sempre a sua descendência. E porquê? Porque todos crêm que Eveline é demente desde que sofreu um acidente a cavalo, e será incapaz de entender os seus deveres. Porém, a jovem esconde uma mentira que, apesar de ansiar revelar, aumenta a cada dia que passa: na verdade, ela é apenas surda, tendo o dom de ler os lábios das pessoas. Quando Graeme descobre o seu segredo, a atracção que antes os perturbava aprofunda-se, e um sentimento de amor e protecção feroz surge entre ambos, maior do que o ódio que separa as suas famílias. Contudo, são muitos os oponentes à felicidade do casal, pois nem todos vêm como vantajosa a aliança entre os dois clãs mais poderosos das Terras Altas…

Confesso que, para além do enredo, do cenário e do romance, o principal factor que me levou a querer ler este livro se prendeu com a incapacidade auditiva da personagem principal. Esta foi inspirada no próprio marido de Maya Banks, pelo que se nota uma sensibilidade especial ao explorar o tema. De facto, nos primeiros capítulos, o nosso contacto com Eveline é através do seu pensamento, pois esta apenas comunicava por gestos. As descrições destas suas interações são retratadas com grande realismo e minúcia, pelo que o leitor consegue tecer uma imagem precisa das dificuldades de Eveline. Também a forma como a autora construiu a evolução desta personagem e, por conseguinte, a evolução da relação entre Eveline e Graeme é simplesmente brilhante e emocionante, fazendo-nos admirar muito a inteligência e coragem da jovem. Foi, sem dúvida, a minha personagem preferida, e uma das personagens principais de que gostei mais, tendo em conta os romances que já li. Por isso, este aspecto do livro não me desiludiu nem um pouco, e torna-o, a meu ver, especial. Além disto, o livro é um crescendo de situações emocionantes, de tensão, de apreensão, que nos fazem sofrer com as personagens até ao fim, e então, uma vez chegados aos últimos capítulos, rejubilar de alegria pela forma como o amor consegue superar e transformar as circunstâncias mais duras.

Apesar de tudo isto, não foi um livro que eu tenha adorado. Gostei da leitura, mas não me marca, prevalecendo a sensação de que faltou algo mais. E esse algo mais não sei precisar. Talvez tenha que ver com o facto de, acidentalmente, me terem revelado alguns spoilers e, assim, algumas cenas terem perdido a sua força emotiva. Ou talvez também por faltar explorar um pouco mais o contexto histórico e mesmo o enredo. Por exemplo, nunca é explicada a origem do ódio entre os dois clãs (espero que isso venha a ser explorado nos volumes seguintes).

No geral, não tendo sido tão profundo e arrebatador como esperava, este livro proporcionou-me momentos de leitura agradável, e uma boa primeira experiência com o romance histórico escocês, através de personagens inspiradoras que, essas sim, serão inesquecíveis… Recomendo a todos os que gostem de romance, da Escócia, e de personagens fortes que ficam na nossa memória como exemplos de coragem e resiliência.

IMG_20150210_185611

Classificação: *** (Bom)

Link no Goodreads: https://www.goodreads.com/book/show/13360101-never-seduce-a-scot

E vocês, são fãs deste tipo de romance? Ficaram curiosos?

Digam-me tudo aqui nos comentários, vou gostar de saber 😉

E até ao próximo post!


Editora: Saída de Emergência (http://www.saidadeemergencia.com/)

1ª Edição: Abril de 2014

Páginas: 336

Apresentação: Capa mole

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s